Conheça os ganhadores de Prêmio Ricardo Miranda de Montagem 2015

26.11.15 | A edt. (Associação de Profissionais de Edição Audiovisual do Rio de Janeiro) entregou ontem, na cerimônia de encerramento da VII Semana dos Realizadores, o Prêmio Ricardo Miranda de Montagem de Invenção nas categorias curta e longa-metragem da mostra competitiva do festival. O júri, composto pelos montadores Cezar Migliorin, Mariana Sussekind e Marta Luz, premiaram na categoria longa-metragem, Guilherme Peters e Roberto Winter, responsáveis pela direção e montagem de “Proxy Reverso”. O júri anunciou sua decisão: “Com um trabalho minucioso que articula signos de naturezas diversas com a construção de uma narrativa sedutora e eficiente, o Júri da edt. tem o privilégio de conceder o Prêmio Ricardo Miranda de Montagem de Invenção para o longa-metragem ‘Proxy Reverso’” [caption id="attachment_1774" align="alignnone" width="640"] Guilherme Peters recebe troféu pela montagem do longa “Proxy Reverso”[/caption]   Já na categoria curta-metragem, Débora Viegas e Nicolas Thomé Zenute, que assinam direção e montagem do filme “São Paulo com Daniel”, foram os premiados. Nas palavras do júri da edt.: “Encontrar o ritmo, estabelecer atmosferas, produzir estranhamentos e desvios poéticos e, ao mesmo tempo, narrar uma história com personagens sólidos é das tarefas mais árduas que a montagem pode se impor. É nessa invenção singular que se encontra o curta-metragem São Paulo com Daniel” [caption id="attachment_1771" align="alignnone" width="640"] Débora Viegas e Nicolas Thomé Zenute com Trofé Ricardo Miranda[/caption]   O premio Ricardo Miranda é uma iniciativa da edt. que visa valorizar e dar reconhecimento ao profissional de montagem. É também uma homenagem a Ricardo Miranda, montador-autor e professor de toda uma geração recente de montadores.   [caption id="attachment_1777" align="alignnone" width="640"]Célia Freitas, Guilherme Peters e jurados Cezar Migliorin e Marta Luz Célia Freitas, Guilherme Peters e jurados Cezar Migliorin e Marta Luz[/caption]     [caption id="attachment_1778" align="alignnone" width="640"]Célia Freitas, Mariana Sussekind, a pequena Maya, Nicolas Thomé Zenute e Débora Viegas Célia Freitas, Mariana Sussekind, a pequena Maya, Nicolas Thomé Zenute e Débora Viegas[/caption]   Confira mais fotos da cerimônia: PREMIO_RM 2015_2 PREMIO_RM 2015_4 PREMIO_RM 2015_5 PREMIO_RM 2015_7 PREMIO_RM 2015_1

Edt. vai premiar melhor montagem na Semana dos Realizadores

19.NOV.15 | De 19 a 25 de novembro, no Rio de Janeiro, acontece a VII Semana dos Realizadores. E pela segunda vez a edt. vai oferecer o prêmio Ricardo Miranda de Montagem de Invenção nas categorias longa e curta-metragem. O júri da edt., composto por Cezar Migliorin, Mariana Sussekind e Martha Luz, irá conceder o prêmio às obras que melhor expressem a potência inventiva da montagem cinematográfica. Criado em 2014, o prêmio visa homenagear o montador Ricardo Miranda - professor e mestre de muitos profissionais que hoje dão continuidade às suas ideias sobre montagem cinematográfica. Além disso, a premiação pretende ser uma forma de divulgar e promover o reconhecimento do profissional de montagem. Nesta ano, Jair de Souza, um dos maiores designers brasileiros, presenteou a edt. com a criação de um troféu, concebido com exclusividade para a premiação. A peça é composta por uma faixa tridimensional, circular, de múltiplas dobras e articulações. Para cada olhar, o troféu se mostra numa forma diferente. Jair de Souza nos fala sobre o troféu: “A montagem sempre depende da escolha de um ponto de vista e este troféu representa isto. Cada imagem leva a uma outra diferente e a possibilidade de percorrer caminhos diferentes transforma cada escolha em um caminho único.”   TrofeuRM_prototipo1 Jair de Souza com o protótipo do troféu Ricardo Miranda Jair de Souza é um designer com uma relevante atuação na cena cultural do país. Atuou como diretor de arte em revistas, jornais e agências de publicidade no Brasil e na França. São dele os cartazes dos filmes A marvada carne (1985), O que é isso, companheiro? (1997), Central do Brasil (1998), Diário de Uma Busca (2010), Betinho, a Esperança Equilibrista (2015), e de muitos outros. O troféu está em fase de produção e será feito em aço cromado. Nele serão gravados o nome do prêmio e a seguinte frase de Ricardo Miranda: “Cinema deve ser sempre um provocador, instigador de platéias. Cinema não é negócio."   TrofeuRM_prototipo2Protótipo do troféu em alumínio  

"Outubro Acabou", filme de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes, que faz homenagem a montagem, é premiado em Recife.

18.NOV.15 | O filme "Outubro Acabou", de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes, ganhou o prêmio de melhor montagem na Janela Internacional de Cinema do Recife. Feito em conjunto pelo casal Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes com seu filho, Antonio Akerman Seabra, o filme surge a partir da necessidade de falar sobre o processo de criação de um filme dos pais com o próprio filho. Uma reflexão sobre a História do Cinema através das etapas de criação, desde a filmagem a montagem, passando por referências de diretores e filmes, como o próprio "Outubro", de Eisenstein. Processo: Karen, seu marido, o diretor Miguel SeabraLopes e Antonio, o filho dos dois, passaram 1 mês isolados na ilha de Paquetá, onde ficaram improvisando e ensinando pro filho as várias situações do filme e acabaram por escrever o argumento com ele. Homenagem a montagem: A associada Karen Akerman fala sobre o filme e a homenagem a montagem: "Construímos o filme pensando em múltiplas camadas: a infância de um cineasta, e/ou a infância do cinema - ele próprio. O sonho revela que os filmes ficam velhos, ou seja, é preciso reinventar o cinema para mantê-lo vivo. Seja através de olhos livres e puros, seja através do resgate da matéria concreta, memória viva do cinema - a película. A criança lida com o cinema como o faz com as suas brincadeiras, levando muito a sério uma atividade extremamente lúdica. Entretanto, quando finalmente consegue filmar, descobre que imagens soltas não fazem um filme - cinema é montagem. E se tranca numa sala para elaborar sobre a matéria-memória o seu cinema de invenção - a criação da linguagem como artefato da montagem." A montagem é assinada por Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes.   Trailer do Filme: https://vimeo.com/114886077