Archives

Seção Match Frame Eduardo Escorel

Eduardo Escorel - Foto de Eliane Coster

Foto de Eliane Coster

Eduardo Escorel é montador de filmes exemplares da cinematografia brasileira, entre eles: Macunaíma (1969), Eles não usam black-tie (1981), Cabra marcado para morrer (1984), Santiago (2007) e No intenso agora (2017).

* Fale um pouco sobre o início de sua carreira. O que te levou a ser montador?

Comecei a montar, em 1965, ainda aprendiz de Joaquim Pedro de Andrade, com quem montei O padre e a moça, filme do qual tinha sido assistente de direção e responsável pelo som guia durante a filmagem. Depois, montei alguns curta-metragens, além do primeiro filme que dirigi, em 1966, a quatro mãos com Júlio Bressane – Bethânia bem de perto – que também fotografei e fui o câmera. Ainda em 1966 e até o início de 1967, montei Terra em transe, de Glauber Rocha.

A partir de Terra em transe passei a ser solicitado para montar filmes de outros diretores do Cinema Novo, lembrando que na época havia poucos montadores jovens ligados àquele grupo de realizadores – João Ramiro Mello (1934 – 2003), que dirigiu Romeiros da guia (1962) com Vladimir Carvalho, era um dos únicos. Trabalhar como montador era uma forma de aprendizado e profissionalização que levei adiante, enquanto dirigi, entre 1969 e 1974, outros curtas-metragens e um documentário de longa-metragem, Isto é Pelé (co-dirigido por Luiz Carlos Barreto), até realizar Lição de amor, o primeiro filme de ficção, em 1975.

* Fale sobre o projeto em que você está trabalhando atualmente.

Recentemente, montei com Laís Lifschitz No intenso agora, de João Salles, lançado em novembro de 2016, e com Bárbara Daniel A fera na selva, de Paulo Betti, ainda inédito. Em março de 2018 foi lançado Imagens do Estado Novo – 1937-45, realizado entre 2003 e 2015, documentário que dirigi e montei com Pedro Bronz.

Também em março deste ano iniciei as gravações de um novo documentário sobre o qual ainda é cedo para falar.

Minhas atividades, nos últimos 10 anos, incluem posts semanais para o site da revista piauí e aulas na pós-graduação em Cinema Documentário da Fundação Getúlio Vargas, curso do qual sou também o coordenador.

* Qual foi o trabalho que significou o maior desafio em sua carreira e explique o porquê.

Meu maior desafio talvez tenha sido montar Terra em transe aos 21 anos de idade, dada minha falta de experiência e conhecimento, na época. Em compensação, depois de montar Terra em transe, durante um bom tempo, nada mais me pareceu impossível.

* As recentes mudanças tecnológicas tiveram algum impacto sobre a sua forma de pensar a montagem e realizar a montagem?

Para mim, as mudanças tecnológicas tornaram a montagem, uma atividade mais lúdica e prazerosa, principalmente pelo fato de não operar os programas de edição, contando para isso com entusiastas de outra geração. Montar tornou-se então um exercício intelectual, mais do que tudo.

* Indique um filme cuja edição você admire e explique o porquê.

Indico dois: Jôgo de cena (2007), de Eduardo Coutinho, montado por Jordana Berg; e Elena (2012), de Petra Costa, montado por Marília Moraes, Tina Braz e Idê Lacreta.

* Como você acha que a associação pode contribuir para a nossa categoria? Você já notou alguma mudança? Tem alguma sugestão?

Não pretendo ter lições a dar. Terem criado e mantido a associação até agora já é uma contribuição importante. Além de fortalecerem elos pessoais afetivos e de convivência entre a(o)s editora(e)s, creio que os principais objetivos da associação talvez devam ser educativos, profissionais e informativos.

Eduardo Escorel

Abril, 2018

Documentário “Território de Brincar” tem montagem da associada Marília Moraes.

09.JUN.15 | O documentário “Território do Brincar”,  de David Reeks e Renata Meirelles, em parceria com o Instituto Alana conta com montagem da associada Marília Moraes.

O filme está em cartaz no Espaço Itau de Cinema as 13:20, 15:00 e 20:20.

Fruto de dois anos de filmagens nos mais diversos territórios do Brasil em busca do universo lúdico das brincadeiras infantis, o filme não mostra adultos.

Segundo Marília, “Trata-se de um filme com uma montagem muito específica, apoiada principalmente no gesto da criança. Tem muita profundidade de olhar e propõe uma discussão interessante.”

Clique aqui para acessar o flyer que dá desconto na compra de ingressos para assistir ao  filme.

 

Trailer oficial do filme:

“Um sonho intenso”, documentário montado por três associadas, estreia dia 23

23.ABR.15 | Nesta quinta feira, 23 de abril, estreia o documentário “Um sonho intenso”, de José Mariani. Junto do próprio Mariani, assinam a montagem do filme três associadas da edt.: Célia Freitas, Fernanda Bastos e Helena Lent. O documentário, que fez parte da seleção do festival “É Tudo Verdade” em 2014, estará em cartaz em salas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Lançando mão de depoimentos de intelectuais e de material de arquivo, “Um sonho intenso” apresenta reflexões sobre a história social e econômica do Brasil, dos anos 30 até os dias de hoje.

Fernanda Bastos falou sobre o processo de montagem do filme:

“Aprendi demais neste filme, sobre o nosso ofício e sobre o Brasil. O material era riquíssimo, tanto o filmado agora como as imagens de arquivo, que foram usadas com muita parcimônia por opção estética mesmo. Foi muito duro deixar tanta coisa boa de fora, mas editar é escolher.”

 

O documentário “Um sonho intenso” pode ser visto nas seguintes salas:

Rio de Janeiro:

– Espaço Itaú Botafogo
Praia de Botafogo, 316

– Cine Arte UFF
Rua Miguel de Frias, 9. Icaraí, Niterói

São Paulo:

– Espaço Itaú Frei Caneca
Shopping Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569 (3º piso), Consolação, Centro, SP

Brasília:

– Espaço Itaú Brasília
Shopping Casa Park (2º piso)
SGCV Sul, Lote 22 – Guará

 

Trailer:

Filmes no É tudo verdade editados por associados da edt.

O festival É Tudo Verdade chega à sua 20º edição em quatro cidades, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, consolidado como parâmetro essencial para o gênero do documentário.

O evento abre para o público no dia 09 de abril em São Paulo, dia 10 de abril no Rio de Janeiro, 29 de abril em Belo Horizonte e 27 de maio em Brasília.

O saudoso diretor Eduardo Coutinho (1933-2014) será homenageado e seu documentário final “Últimas Conversas”, montado pela associada Jordana Berg, será o filme de abertura em sessão para convidados no Rio e em São Paulo.

Os associados da edt. mais uma vez têm forte presença no festival assinando diversos filmes. Confira:

Jordana também montou dois longas em em competição “Caminho de volta”, de José Joffily e Pedro Rossi e “Eu sou Carlos Imperial”, de Renato Terra e Ricardo Calil.

Na mostra competitiva de curtas, o associado Arthur Frazão assina a montagem do curta “Caetana”, dirigido por Felipe Nepomuceno e que estará em cartaz nos dias 15 e 19 de abril em São Paulo e 16 e 17 de abril no Rio

O associado Vinicius Nascimento assina a montagem do curta “De Profundis”, dirigido por Isabela Cribari, que também compete na categoria de curta-metragem, estará em cartaz nos dias 12 e 19 em São Paulo e nos dias 14 e 16 no Rio

Na mostra Estado das Coisas,”Estrada de Sonhos”, o longa dirigido por Pedro von Krüger também foi montado por Arthur Frazão. Será exibido nos dias, 11, 13 e 15 em São Paulo e 17 e 19 de abril no Rio.

O filme Geraldinos, que é dirigido e produzido pelos associados Pedro Asbeg e Renato Martins será exibido nos dias 15 e 16 em São Paulo e nos dias 16, 17 e 18 no Rio, na mostra Estado das Coisas.

“Dominguinhos” está na mostra documentários musicais, foi montado pelo associado Joaquim Castro e dirigido por ele, Eduardo Nazarian e Mariana Aydar.

Confira a programação em: http://etudoverdade.com.br/br/programacao/

Galáxias, montado por Jordana Berg, estreia no Canal Brasil

01.OUT.14 | O documentário “Galáxias” dirigido por Fabiano Maciel e montado por nossa associada Jordana Berg terá sua estreia no Canal Brasil no dia 01/10, quarta-feira, às 22h e será reprisado no dia 02/10, às 19h.

A principal questão levantada pelo documentário é: podem os livros mudar a vida de uma pessoa? As lentes apresentam projetos que incentivam o hábito de ler em regiões periféricas do país. O longa-metragem é fruto do edital lançado pela RioFilme em parceria com o Canal Brasil, que assina a coprodução com a República Pureza.

 


 

Com montagem de Pedro Bronz, “A Farra do Circo” chega aos cinemas

26.MAI.14 | Apresentando imagens inéditas registradas na época em VHS pelo jovem cineasta Roberto Berliner e fotos de arquivos pessoais, A Farra do Circo é uma viagem de volta a uma época de efervescência da cena cultural do Rio de Janeiro, que teve repercussão no Brasil todo. O filme tem produção da TvZERO. Nosso associado Pedro Bronz, que assina a co-direção com Roberto Berliner e também a montagem do documentário, nos contou sobre o processo de edição do filme:

“As imagens que o Roberto Berliner produziu no início do Circo Voador eram maravilhosas, e me deu um prazer muito grande sentar e ficar olhando esse material, do jeito que estava, longo, sujo, tosco, cheio de insights, highlights e tudo mais. Era muito divertido dar play e assistir. Então a idéia foi essa, fazer com que o espectador sentisse o mesmo prazer que nós sentimos ao ver e rever (no caso do Roberto) o material. E para isso era preciso não editar. Ou pelo menos dar esse espírito à montagem, a não-montagem, uma sensação de material bruto. Um dos princípios que nortearam a edição foi então: não estragar. A gente queria também que as pessoas tivessem uma experiência sensorial de um show do Circo Voador daquela época (1982/3), com seus tempos mortos, os erros, os acertos, os improvisos, os hits. E nesse sentido os nortes se encontravam, pois para sentir tudo isso era preciso que o material falasse por si só, e não nós gerarmos um pensamento a partir do material. Planos longos, dar tempo de ver o cara com um cigarrinho lá atrás, deixar o couro comer. Chegamos a fazer entrevistas nos dias atuais, mas esse material gritou muito “Me tirem daqui pelo amor de Deus!”. Nós ouvimos e guardamos ele para quem sabe outra ocasião…”

O longa entra em cartaz no Rio e em São Paulo nesta sexta, 29 de maio.

Site official  http://www.tvzero.com/afarradocirco

Joaquim Castro monta e dirige o longa Dominguinhos, que estreia dia 22/05

21.MAI.14 | Estreia amanhã, dia 22, o documentário “Dominguinhos”, dirigido por nosso associado Joaquim Castro, Eduardo Nazarian e Mariana Aydar, com montagem também de Joaquim Castro.

“Dominguinhos” apresenta uma série de imagens de arquivo, com narração feita pelo próprio Dominguinhos e trechos de shows célebres – como uma apresentação muito bem humorada com Dominguinhos e Luiz Gonzaga no palco. Mas não é só: há também duetos com uma Nana Caymmi bastante emocionada, Elba Ramalho, Nara Leão, Gilberto Gil e Gal Costa.

O filme esteve no Festival de Tolouse, Bafici – Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires e integrou a mostra competitiva do 19o É Tudo Verdade.

A estreia nos cinemas será dia 22/05 em dez cidades: São Paulo, Santos, Rio, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Tubarão e Brasília; e em 05/06 estreia em: Salvador, Recife, Guaranhuns, Fortaleza e João Pessoa.

As sessões no Rio de Janeiro serão no

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA BOTAFOGO
Sala 5 – 18h40, 20h30.

 

Uma Homenagem a Eduardo Coutinho

Não há palavras para descrever o sentimento de dor que a comunidade cinematográfica brasileira sente nesse momento pela morte de Eduardo Coutinho. A condição trágica de sua morte exacerba ainda mais a dor por sua perda, que de qualquer modo seria devastadora.
Para todos que trabalham com documentário, ele foi e será sempre um mestre. Explorou profundamente a dimensão do encontro em suas obras, transformando o documentário brasileiro. Para nós, profissionais de edição, temos em Coutinho também uma outra referência: protagonizou junto com nossa querida Jordana Berg uma das mais frutíferas parcerias entre diretor e montador do cinema brasileiro, inspiradora para muitos de nós.
Nós da edt. expressamos nossa profunda tristeza e compartilhamos através do link o registro de um feliz encontro que tivemos com ele e Jordana após a exibição de ‘Um dia na vida”, no Cineclube edt., em 17 de Outubro de 2013, provavelmente uma das últimas aparições públicas do mestre.
Obrigado por tudo, Coutinho!

Fatal error: Uncaught Error: Call to undefined function edt_content_nav() in /home/edt/public_html/wp-content/themes/edt/archive.php:94 Stack trace: #0 /home/edt/public_html/wp-includes/template-loader.php(78): include() #1 /home/edt/public_html/wp-blog-header.php(19): require_once('/home/edt/publi...') #2 /home/edt/public_html/index.php(22): require('/home/edt/publi...') #3 {main} thrown in /home/edt/public_html/wp-content/themes/edt/archive.php on line 94